Mar 2016 - A REALIZAÇÃO DE UM SONHO: O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESCOLA AUSTRÍACA

Artigo do Mês - Ano XV– Nº 168 – Março de 2016

pósEste é o mês em que se realiza um velho sonho, um projeto acalentado durante muitos anos. Anos sem dúvida, bem difíceis, mas que tornam a vitória mais saborosa. Em 19 de março postei as seguintes palavras no facebook:

“Depois de muitos anos como professor universitário, posso dizer que a aula que acabei de dar nesta noite foi a mais feliz da minha vida: a primeira aula do Curso de Pós-Graduação em Escola Austríaca, uma iniciativa conjunta do Mises Brasil com a UniÍtalo aqui em São Paulo. Meu sonho se realizando. Valeu a pena ter enfrentado tantos obstáculos. Se não fosse pela resistência do ar os pássaros não poderiam voar. Venci! Viva a liberdade”!

Como foi difícil chegar a essa vitória! Quantos obstáculos, quanta resistência, quanta incompreensão, quanta arrogância e quanta ignorância, principalmente por parte de colegas que, exatamente por serem – ou pretenderem ser – acadêmicos, deveriam ser compreensivos, humildes e abertos ao estudo!

 

E, ao mesmo tempo, quantas forças Deus me deu para enfrentar sem medo toda essa resistência, como os pássaros enfrentam a resistência do ar, sem a qual não conseguiriam  voar.

Mas, também quanto apoio de alunos eu recebi ao longo desses anos, apoio que sempre me fortaleceu para jamais esmorecer na luta para despertar neles os valores da liberdade tão caros à Escola Austríaca. Cada um daqueles jovens que mostrava interesse em se aprofundar na tradição de Carl Menger nem podia imaginar o quanto seu interesse me fazia bem, me revigorava e enchia da fortaleza necessária para continuar a missão.

Afinal, um verdadeiro professor deve existir para seus alunos - e não, conforme alguns colegas parecem pensar – os alunos existem para “glorificar” o mestre.

Esta primeira turma do Curso de Pós-Graduação em Escola Austríaca representa, portanto, um marco, uma pedra branca em minha vida profissional. Sim, uma alba lapidem, uma das pedras alvas com que os romanos diziam que se deveria marcar as datas importantes. Que seja apenas a primeira de muitas, e que possamos contribuir para consolidar na academia brasileira os ensinamentos insubstituíveis dos austríacos.

Nada disso teria sido possível - devo salientar - se não existisse o Instituto Mises do Brasil, onde encontrei tudo o que precisava para me sentir em condições de desenvolver meu trabalho. A determinação de seu presidente, Helio Beltrão, bem como o amor à liberdade de seus membros têm sido contagiantes. Não é à toa que, entre todos os think tanks espalhados pelo mundo, o do Mises brasileiro é o mais acessado, rivalizando com o de seu inspirador, o Mises Institute, do Alabama.

O crescimento e consolidação da Escola Austríaca são fatos incontestáveis no Brasil e isso vem acontecendo a uma velocidade espantosa. Milhares de jovens de todo o Brasil mostram interesse nela, Mises já é o economista mais acessado do Brasil nos sites de buscas, a Summer School realizada em fevereiro em São José dos Pinhais foi um retumbante sucesso e a nossa revista acadêmica já vai para seu quinto número.

O Curso de Pós-Graduação em Escola Austríaca tem um futuro bastante promissor e convido todos a conhecerem sua estrutura, no site do Instituto Mises.

Em suma, a liberdade veio para ficar. Posso dizer, como Júlio César, veni, vidi, vici! Esta frase é utilizada em situações em que o  êxitode umempreendimento é rápido e seguro, ou seja, quando há facilidade em obter uma vitória.

Posso dizer que foi fácil, porque nunca desisti!